terça-feira, 22 de Abril de 2014

beActive partilha palco com a DreamWorks e equipa de "The Walking Dead"


beActive partilha palco com a DreamWorks e equipa de "The Walking Dead"
PORTUGUESA BEACTIVE APRESENTA COLLIDER 2017
NO FMX, NA ALEMANHA
Lisboa, 22 de Abril 2014 – Nuno Bernardo, fundador e director-geral da produtora beActive participa
hoje e amanhã em Estugarda, no evento FMX 2014, uma conferência internacional sobre Animação,
Efeitos Especiais, Jogos e Transmedia que decorre nesta cidade alemã até sexta-feira, apresentando a
nova produção multiplataforma da empresa portuguesa, o COLLIDER 2017. Esta apresentação, com o
título “COLLIDER: How to Build a Sci-fi Transmedia Franchise” foca-se na sequela, actualmente em
produção, baseada no livro de BD e no filme COLLIDER que esteve nas salas de cinema nacionais no
passado mês de Novembro tendo sido recentemente nomeado aos EMMY S.
Nuno Bernardo irá partilhar o palco com Dennis Lenart que apresentará o videojogo baseado na série
“The Walking Dead” e no caso do português, será explicado todo o processo que levou à produção de
COLLIDER. E tudo começou como uma simples ideia: “Exterminador Implacável” misturado com a
série de TV “Perdidos”. Depois a ideia tornou-se num livro de BD seguido por uma webseries no YouTube
com mais de 1,5 milhões de espectadores, dois jogos para telemóvies, uma experiência interactivas nas
redes sociais, uma longa-metragem e uma série nomeada a um EMMY para televisão.

Para além deste painel Transmedia, Nuno Bernardo integrará ainda hoje, lado a lado com a gigante
DreamWorks Animation e o seu Supervisor de Efeitos Especiais, Doug Cooper, uma apresentação
dedicada ao tema “What We See”, onde serão abordadas as mais recentes inovações relativas a
tecnologias imersivas, computação em tempo real e efeitos de realismo.
Dando continuidade a este universo, COLLIDER 2017, uma produção 100% nacional, pega numa das
personagens do filme, Lúcia (interpretada pela actriz portuguesa Teresa Tavares) e cria uma sequela em
formato de série de Animação 3D e em Videojogo para Tablet. Toda a acção é passada no ano 2017, no
Rio de Janeiro, ano em que o planeta é invadido pelos “Unknown”, criaturas mortais que estão a dizimar
a população do planeta.
Misturando o tradicional filme de ficção científica com muita acção, criaturas que atacam à primeira
oportunidade e uma pitada de romance e drama, COLLIDER é uma produção baseada nas experiências
realizadas no CERN, onde se encontra o maior acelerador de partículas do Mundo, o Large Hadron
Collider. Além de um filme, disponível em Portugal nos vários serviços de Video-on-Demand,
COLLIDER é projecto multiplataforma estando disponível como mini-série para TV exibida em Portugal
na SIC RADICAL, livro de BD, jogo para smartphones e experiência interactiva nas redes sociais. Em
breve também disponível em série de animação e jogo para “tablet”.

O COLLIDER 2017 é co-financiado pelo FICA – Fundo Investimento no Cinema e Audiovisual – e é
desenvolvido usando a tecnologia “Machinima Storyteller” desenvolvida pela própria beActive em
parceria com o GAIPS (Intelligent Agents and Synthetic Characters), um departamento do INESC-I&D
sediado no Taguspark. O “Machinima Storyteller” permite a criação integrada de vídeos e jogos a partir
de um guião comum e foi pensada para o desenvolvimento de histórias interactivas. O sistema permite o
desenvolvimento mais eficiente e económico de vídeos animados, videojogos e histórias interactivas
partilhando personagens, animações 3D e elementos visuais comuns. Este conjunto de ferramentas é
inspirado na metodologia Machinima e usa o motor Unity 3D (de origem dinamarquesa) para suportar
a renderização e animação em tempo real dos personagens e cenas.
Esta semana, no FMX 2014 serão apresentados alguns dos mais recentes projetos de Animação e Efeitos
especiais, desde os blockbusters de Hollywood até a filmes e produções de TV Europeias. A par,
produtoras e criadores vão demonstrar videojogos e novas tecnologias ligadas à indústria do
entretenimento. O evento agrega, todos os anos na Alemanha, os profissionais mais conceituados nas
áreas de animação 3D, Efeitos Visuais e Videojogos.
Mais informações sobre o evento e participação da beActive/Nuno Bernardo:
www.fmx.de/program2014/speaker/775

Alicante Star Wars spot

Star Wars Pinball - Droids

segunda-feira, 21 de Abril de 2014

Entrevistas SWCP: Shaune Harrison

Shaune Harrison é um designer de próteses e maquilhador de efeitos especiais em filmes como: Star Wars (episódio I),Harry Potter,Capitão América,World War Z,entre outros.
SWCP: É verdade que aos 13 anos de idade, começou a interessar-se pela criação de monstros e criaturas quando assistiu ao filme `Um lobisomem americano em Londres’? O que o fascina mais nesta área?
S.H: Sim, eu vi alguns destes filmes quando tinha 13 anos e modificaram totalmente a minha vida, estava interessado em monstros desde garotinho e adorava assistir aos filmes do Ray Harryhausen (Sinbad, Jason 7 os Argonautas) quando atingi a adolescência, queria recriar monstros de filmes famosos, pessoas como o Rick Baker, Stan Winston, Rob Bottin & Tom Savini eram os meus heróis. The Thing foi um dos meus filmes de monstros favoritos de sempre. Adoro todo o processo de como as criaturas são projectadas, construídas e filmadas. 

SWCP: Fale-nos do seu trabalho no episódio I de Star Wars.
S.H: Eu trabalhei para o Nick Dudman nesse filme; foi um sonho tornado realidade porque eu tinha 9 anos quando o filme original saiu e fiquei fascinado, logo ao trabalhar com o George Lucas e sua equipa foi incrível! Eu tinha de esculpir um monte de alienígenas para o filme, simples máscaras de criaturas, mas o personagem principal que eu fiz foi Bib Fortuna que era uma criatura formidável para trabalhar e o meu chefe Nick, fez a versão original no `Regresso de Jedi´. Eu também tive de projectar um dos membros do Conselho Jedi que se chamava Sae See Tiin. Um filme que eu nunca vou esquecer, uma incrível experiência.
SWCP: Contribuiu também para a criação de vários personagens da saga Harry Potter.Como foi essa experiência? 

S.H: Novamente, eu estava trabalhar para o Nick Dudman, e era apenas um dos sete artistas de criatura quem tinha trabalhado em todos os oito filmes, de modo que é muito especial para mim. Cada filme tinha grandes personagens para trabalhar, no primeiro tive de esculpir, projectar e desenhar alguns dos duendes na sequência do Banco. No segundo, eu fiz o gato prostético da Hermione, bem como em numerosos efeitos. No terceiro, tive de aplicar a todos os duplos dos personagens como tia Marge o que foi muito divertido. Também trabalhei muito na transformação do lobisomem Lupin.No quarto, foi o grande ponto de viragem para mim já que tive de trabalhar nos personagens Mad Eye Moody e Voldemort .Foi uma experiência incrível e assistir à cena do cemitério com o Lord Voldemort tornou-se uma sequência tão icónica, este foi também um dos filmes mais difíceis em que trabalhei devido à duração do tempo que filmamos, trabalhei nesse filme durante 16 meses no total. No quinto, tive de fazer novamente o Mad Eye Moody,e trabalhei ainda na cena do flashback com os professores quando eram ainda adolescentes. No sexto filme, trabalhei principalmente com a aranha gigante Aragog que levou meses e meses para fazer e mais uma vez foi formidável construir algo tão grande e uma boa mudança para fazer próteses de vez em quando. No sétimo e oitavo filme, tive de esculpir e desenhar inúmeros duendes para a cena do Banco que levou novamente muitos meses de trabalho a construir esses personagens. Também construiu o esqueleto do Basalisk que o Ron e a Hermione encontraram para remover um dos seus dentes. No total, trabalhei nestes filmes durante quase 10 anos.
SWCP: É o fundador da academia Shaune Harrison Make Up Artist.O que se ensina nesta academia? 

S.H: Eu queria abrir uma escola de maquilhagem já há algum tempo para ensinar a arte e o ofício das próteses em efeitos especiais, eu vou estar a usar exactamente o mesmo tipo de materiais que nós usamos todos os dias na indústria cinematográfica para que os alunos aprendam a maneira correta de fazer os moldes, próteses de esculpir, pintura e aplicação de peças com qualidade para os filmes.
SWCP: Realizou recentemente o seu primeiro grande filme (Decay) que está ainda em fase de pré-produção. Pode fazer-nos um pequeno resumo desse filme? 

S.H: Infelizmente decidi demitir-me como diretor deste filme para me poder concentrar na minha escola pois eu sinto que é lá que eu quero estar com a minha Academia, mas ainda sou o argumentista do filme.
SWCP: Que mensagem quer enviar aos fãs dos seus trabalhos?
S.H: Se vocês realmente querem fazer este tipo de trabalho, é preciso trabalhar duro e muita prática, mas vale a pena o esforço e vendo o vosso trabalho na grande tela é uma sensação muito boa. Mas nunca sintam medo de tentar entrar nesta indústria, o mais importante é que vocês tenham de amar o que fazem e trabalhar tão duro quanto poderem.




 
ENGLISH VERSION:

Shaune Harrison is a special make up effects artist for many feature films such as: Star Wars (Episode I), Harry Potter, Captain America, World War Z, among others.
SWCP: Is that true that your fascination with special make up effects to make monsters/creatures, began at thirteen while watching `An American werewolf in London’? What fascinates you more in this area? 

S.H: Yes, I saw some of this film when I was 13 and it totally changed my life, I've been interested in monsters since i was a little boy and I loved watching Ray Harryhausen films (Sinbad, Jason 7 the Argonauts) when I became a teenager I wanted to recreate monsters from famous films, people like Rick Baker, Stan Winston, Rob Bottin & Tom Savini where my hero's. The Thing was one of my all time favorite monster films ever. I love the whole process of how creatures are designed, built and filmed on camera. 

SWCP: Tell us about your work on Star Wars: Episode I.
S.H: I worked for Nick Dudman on this film, it was a dream comes true because I was 9 when the original film came out and it blew me away, so to work with George Lucas and his team was incredible! I got to sculpt a lot of aliens for the film, simple pull over creature masks but the main character I did was Bib Fortuna which was such a great creature to work on, and my boss, Nick had made the original version of him back on Return of the Jedi. I also got to design one of the Jedi council members and I applied him for that sequence, he was called Sae See Tiin. A film that I’ll never forget, an amazing experience.
SWCP: You contributed as well for the creation of several characters for Harry Potter films. How it was this experience? 

S.H: Again I was working for Nick Dudman, I was one of only 7 creature artists who had worked on all 8 films so that is very special to me. Each film had great characters to work on, Potter 1 I got to sculpt, design and apply some of the goblins for the bank sequence, Potter 2 I did the Hermione cat prosthetic as well as numerous other make up effects gags. Potter 3 I got to apply all the stunt characters like Aunt Marge which was great fun. I also worked a lot on the Lupin Werewolf transformation. Potter 4 was the big turning point for me as I got to apply Mad Eye Moody and Voldemort for this film, an incredible experience and watching the graveyard scene with Lord Voldemort has become such an iconic sequence, this was also one of the hardest films I've worked on due to the length of time we filmed for, i worked on number 4 for 16 months in total.
Potter 5, I got to do Mad Eye Moody again, plus I worked on the flashback scene with the teachers as younger teenage boys. Potter 6 i mainly worked on the big dead Aragog spider sequence which took months and months to make and again I had a great time building something so big and a nice change to doing prosthetics once in a while. Potter 7 and 8, I got to sculpt and design numerous goblins for the bank scene which took again many months to work out and build these characters. I also built the skeletal Basalisk that Ron & Hermione find to remove one of the teeth. In total I worked on these films for nearly 10 years. 

SWCP: You are the founder of Shaune Harrison Make Up Artist Academy. What this academy teaches?
S.H: I wanted to open up a make up school for a long while now and teach the art and craft of prosthetic make up effects, I will be using exactly the same type of materials that we use every day in the film industry so the students will learn the proper way to make molds, sculpt prosthetics, paint & apply film quality pieces.
SWCP: `Decay´ is your first length feature film that is also due to enter pre-production. Could you tell us a bit more about this film of yours?
S.H: Unfortunately I’ve decided to step down as director of this film to concentrate on my school as I feel this is where I want to be with my academy, I'll still be the writer of the film though. 

SWCP: What message would you like to send for the fans of your works?
S.H: If you really want to do this type of work, it takes hard work and lots of practice but it is well worth the effort and seeing your work on the big screen is a great feeling. But please never feel afraid of trying to get into this industry, but the main thing is that you have to love what you do and work as hard as you can.




sábado, 19 de Abril de 2014

Concurso da Gentle Giant

A Gentle Giant está a promover um concurso dedicado ao dia do fã de Star Wars(dia 4 de Maio) em que as quatro melhores memórias favoritas de Star Wars enviadas pelos participantes,receberão excelentes prémios como por exemplo: Figura Jumbo Vintage Stormtrooper,busto do Luke Skywalker(versão ROTJ),busto do Boba Fett,entre outros prémios.As respostas deverão ser enviadas até ao dia 2 de Maio para o seguinte endereço eletrónico: gentlegiantltd.custserv@3dsystems.com
com o assunto: May the 4 th contest entry.


sexta-feira, 18 de Abril de 2014

Han Solo em carbonite à escala real

A Sideshow Collectibles já tem para pré-venda a estátua do Han Solo em carbonite à escala real,medindo mais de dois metros de altura!Para os afortunados fãs de Star Wars que possam gastar 6.999,00 Dólares,esta é uma boa prenda de Páscoa!

Uma santa Páscoa!

O SWCP deseja a todos os seus sócios,familiares,amigos e leitores uma santa Páscoa!

quinta-feira, 17 de Abril de 2014

Uday Hussein era fã de Star Wars?

As forças paramilitares de Saddam Hussein,as denomibadas Feddayeen que foram o último bastião defensivo deste ditador iraquiano desde 1995 a 2003,tinham uns capacetes que eram uma réplica exata do capacete do Darth Vader,tendo inclusivé uma inscrição ao lado de uma silhueta do ditador que dizia: "O Lorde,a terra natal,o líder".Uday Hussein o filho de Saddam e líder desta força paramilitar,era um fã de filmes e do uniforme do Darth Vader,talvez venha daí a origem destes capacetes.Fotos dos capacetes: nuke.combat-helmets.com
 

quarta-feira, 16 de Abril de 2014

O vencedor do passatempo DK

O Carlos Duarte já recebeu o prémio relativo ao passatempo DK .Parabéns ao vencedor!Brevemente teremos novo passatempo,fiquem atentos às nossas notícias.

Entrevistas SWCP: Michael Nankin

Michael Nankin é um realizador e produtor americano que tem trabalhado em vários filmes e séries televisivas como: Defiance,RedFaction,Caprica,Heroes,Eureka,Invasion,entre outros. 
SWCP: A série de ficção científica `Defiance´terminou a sua primeira temporada em Portugal, tendo conquistado os portugueses fãs de ficção científica. Fale-nos um pouco do seu trabalho nesta série.
M.N: O meu cargo é "diretor produtor", que significa dirigir um número dos episódios e supervisionar os realizadores dos episódios restantes. DEFIANCE, como muitos programas de TV americanos, possui os seus escritores e produtores de escrita baseado em Los Angeles enquanto que as rodagens da série acontecem em outros locais menos caros.
DEFIANCE é filmado em Toronto, Canadá, e eu sou o responsável por tudo o que acontece lá. Eu supervisiono o guarda-roupa, design de produção e os castings, bem como fazer o meu melhor para manter o elenco e a equipa feliz e a trabalhar bem. Eu não escrevo sobre a série, mas sou quem interpreta os scripts. Colaboro com os produtores em Los Angeles, bem como o estúdio e a rede da internet. Criativamente, a minha abordagem para a série é "encontrar a humanidade" em cada cena. O grande benefício de uma série que envolve raças de extraterrestres, é que você começa a examinar o que significa ser humano.
SWCP: É verdade que o seu primeiro filme foi feito em 1976 e que se chamava ´Gravidade’? Que recordações tem dessa época?
M.N: Na verdade, o meu primeiro filme foi chamava-se  "The Advent of the No-Belch Cucumber"que eu fiz quando eu tinha 10 anos de idade, depois de me ter sido oferecida pelo meu avô uma câmara de filmar de 8mm.Era uma história sobre um pepino que comeu uma família. Eu fiz o `Gravidade´ como um estudante universitário. Era uma paródia de filmes de ciência horrível da década de 1950 que foi apresentado na escola. O orçamento do filme foi de US $300 e o filme ganhou um prémio de US $1.000 no primeiro concurso. Foi quando decidi tornar-me num cineasta. `GRAVIDADE´ venceu dezenas de festivais de cinema. Foi um trabalho de amor e algo que me fez rir. Não tinha ideia que seria apreciado por qualquer outra pessoa ou ter qualquer tipo de sucesso. O filme foi filmado numa câmara de 16mm Bolex emprestada que só podia trabalhar durante 20 segundos antes de parar. 

SWCP: Como surgiu a oportunidade de se envolver na nova série de Battlestar Galactica em 2005?
M.N: Eu não estive envolvido desde o início no projeto. Enquanto BATTLESTAR estava a começar sua primeira temporada, eu estava a desenvolver uma mini-série com o David Eick (produtor executivo de BATTLESTAR) para a rede Syfy e o projeto foi cancelado. Pedi ao David se ele poderia pôr-me a dirigir a BATTLESTAR porque eu precisava de dinheiro. Eu não tinha visto a série, mas depois de ter trabalhado nela em apenas dois dias, eu percebi que eu tinha caído em algo maravilhoso. E continuei a dirigir oito episódios.
SWCP: É um fã de ficção científica? O que o atrai mais nesta temática?
M.N: Não me importo sobre o género.Já filmei faroeste, piratas, Sci-Fi, drama familiar, histórias policiais, terror, comédia e para mim o trabalho é o mesmo; como você faz os personagens viver; como você faz as cenas emocionantes e reais; Como é que diz a verdade? O meu género favorito é aquele que ainda não fiz. 

SWCP: Para si, o que é mais difícil? Realizar ou produzir um filme?
M.N: Realizar é o mais difícil e mais gratificante trabalho no planeta.
SWCP: Que mensagem quer enviar aos seus fãs?
M.N: É muita gentileza sua, assumir que eu tenho fãs. Se houver algum, a minha mensagem é: Divirta-se!






 ENGLISH VERSION:

Michael Nankin is an American director and producer who has worked in several renowned films and TV series such as: Defiance, Battlestar Galactica, Red Faction, Caprica, Heroes, Eureka, Invasion, among others.
SWCP: The sci-fi series `Defiance´ is about to finish the first season in Portugal, having captivated Portuguese science fiction fans. Tell us a bit more about your work on this series.
M.N: My job title is "directing producer" which means I direct a number of the episodes and supervise the directors of the remaining episodes. DEFIANCE, like many American TV shows, has its writers and writing producers based in Los Angeles while the actual shooting of the series happens in other, less expensive locations. DEFIANCE is shot in Toronto, Canada, and I am in charge of everything that happens there. I supervise wardrobe, production design, casting, as well as do my best to keep the cast and crew happy and working well. I do not write on the show, but am the one who interprets the scripts. I collaborate with producers in Los Angeles as well as the studio and the network. Creatively, my approach to the show is to "find the humanity" in every scene. The great benefit of a show involving races of aliens is that you get to examine what it means to be human. 

SWCP: Is that true that your first film was a short film called `Gravity ‘in 1976? What memories do you have of these times?
M.N: Actually, my first film was called "The Advent of the No-Belch Cucumber" which I made when I was 10 years old, after having been given an 8mm movie camera by my grandfather. It was a story of a cucumber eating a family. I made GRAVITY as a college student. It was a parody of the awful 1950's science films I was subjected to in school. The budget of the film was $300 and the film won a $1,000 prize in its first contest. That was when I decided to become a filmmaker. GRAVITY went on to win dozens of film festivals. It was a labor of love--something that made me laugh. I had no idea it would be appreciated by anyone else or have any kind of success. The film was shot on a borrowed hand-wind Bolex 16mm camera that could only run for 20 seconds before stopping. It kept the pace of the film sharp. 
SWCP: How the opportunity come to get involved as a regular director for the reimagined Battlestar Galactica series in 2005? 

M.N: I was not involved at the inception of the project. While BATTLESTAR was starting its first season, I was developing a mini-series with David Eick (executive producer of BATTLESTAR) for the Syfy network and the project was terminated. I asked David if he could get me a directing job on BATTLESTAR because I needed the money. I had not seen the series, but after working on it for 2 days, I realized I had fallen into something wonderful. I stayed on and directed 8 episodes. 

SWCP: Are you a sci-fi fan? What attracts you more on this theme?
M.N: I don't really care about genre. I have shot westerns, pirates, sci-fi, family drama, police stories, horror, comedy--and for me the job is the same--how do you make the characters live; how do you make the scenes exciting and real; how do you tell the truth? My favorite genre is the one I haven't done yet.
SWCP: What is most difficult for you: Direct or produce a film?
M.N: Directing is the hardest and the most rewarding job on the planet.
SWCP: What message would you like to send for your fans?
M.N: It's very kind of you to assume I have any fans. If there are any, my message is: Enjoy!